Nunca é tarde para responder a um chamado

A questão vocacional inquietou meu coração por muitos anos e pode estar inquietando você também. Partilho aqui meu testemunho vocacional, na certeza que Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos. Meu nome é Jefferson Bassetto. Nascido em Londrina, solteiro, 44 anos, sou o filho e neto mais velho da família e tenho mais duas irmãs, Viviane e Vanessa.

Tive a graça de viver desde sempre em um lar católico praticante, com pais e avós paternos e maternos católicos praticantes. Uma das minhas tias paternas, Irmã  Lourdes Bassetto, é claretiana há mais de 50 anos. Ainda bebê e nos primeiros anos de vida, quando ia à casa dos meus avós paternos, tinha a oportunidade de conviver com Madre Leônia Milito e D. Geraldo Fernandes no início da Congregação.

Com meus avós e padrinhos de batismo

Fiz a educação infantil no Colégio Mãe de Deus e o ensino fundamental no Colégio Marista, recebendo valores também cristãos. Fui atleta de natação da infância até a adolescência e comecei a trabalhar como auxiliar administrativo com 14 anos em um complexo hospitalar da cidade de Londrina. Fiquei por seis anos nessa empresa e passei por diversos setores de gestão. Com 18 anos havia terminado o meu curso de inglês e comecei a dar algumas aulas em cursos livres, paralelo ao emprego que tinha no complexo hospitalar, enquanto estudava para o vestibular. Daí, decidi me dedicar ao ensino da língua inglesa e fui para os Estados Unidos, onde passei dois meses estudando inglês instrumental para negócios. Quando retornei, resolvi prestar vestibular para Administração de Empresas na UEL (Universidade Estadual de Londrina) e fui aprovado logo no retorno dos Estados Unidos. Quando terminei a graduação assumi a coordenação de marketing e recursos humanos do último colégio que eu estava trabalhando e deixei de dar aulas, após mais de sete anos dedicados à docência da língua inglesa.  Em seguida fiz minha especialização em marketing na FGV (Fundação Getúlio Vargas) e ao término dessa especialização, abri minha agência com mais dois sócios, focada na assessoria de marketing e comunicação, com ênfase na organização de eventos, a qual me realizou de certa maneira, profissionalmente, financeiramente e pessoalmente. Após seis anos de agência, em 2010, senti a necessidade de estar em contato novamente com a área acadêmica, de estudar mais e o desejo de voltar a dar aulas. Em 2011 ingressei como aluno regular e em abril de 2013, conclui o Mestrado em Comunicação na Umesp (Universidade Metodista de São Paulo). Também ao longo dos anos fui um adolescente e jovem como tantos, com vários amigos, namoradas e participante em movimentos e pastorais na igreja. Até aqui, foi um breve relato da minha vida pessoal, profissional e de estudos. Mas pode-se perguntar, o que faz um homem, na época com quase 40 anos, com uma carreira profissional em ascensão, desejar mudar radicalmente sua vida e se tornar sacerdote? Creio ter tido meu primeiro chamado para uma vida mais próxima a Jesus, a vocação sacerdotal, ainda na catequese, por volta dos meus 11, 12 anos. A catequista Neusa e o padre Paulo Brincat, que me acompanhavam na época na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes (onde fiz primeira comunhão e fui crismado), deram um estímulo, mas eu digo sempre que “fingi que não era comigo”.

Em setembro de 2013, quando fiz uma peregrinação à Terra Santa, senti fortemente o chamado para abandonar tudo e buscar discernir minha vocação, servindo a Jesus Cristo de forma plena no exercício do Sacerdócio. Várias confirmações foram acontecendo em 2014, junto com meu diretor espiritual na época, Pe Giovanni Mezzadri, que me acompanhava há vários anos. Então, em outubro de 2014 decidi ir para uma nova comunidade, denominada Dois Corações, com sede em Sorocaba (SP), local que havia feito alguns retiros e reciclagens denominados Agapeterapia. Depois de passar um ano nessa comunidade – percebo que foram muitos aprendizados e amadurecimento pessoal e espiritual -, cursei dois semestres do curso de Filosofia na Uniso (Universidade Sorocaba) e este chamado se consolidou. Com mais discernimento na questão vocacional e disposto a seguir o processo formativo, em fevereiro de 2017 me apresentei para realizar esse meu sonho, na cidade onde nasci e construí minha história de vida, ingressei no Seminário Arquidiocesano Dom Albano Cavalin, da Arquidiocese de Londrina para concluir os estudos de Filosofia. Hoje sigo com 44 anos, cursando o terceiro ano de teologia como seminarista de nossa arquidiocese, buscando discernir cada vez mais meu chamado ao sacerdócio. Sempre é tempo de assumir nossa vocação! Quer conhecer mais sobre a vocação ao sacerdócio e fazer um estágio vocacional sem compromisso? Acesse https://www.facebook.com/savlondrinaoficial e saiba mais.

 

Sagrado Coração de Jesus, eu confio e espero em vós!

 

Jefferson Bassetto
Seminarista da Teologia – Arquidiocese de Londrina

 

 

Plugin de comentários do Facebook