A outra dimensão

Juan Ruiz de la Peña é uma das grandes figuras da teologia católica no século XX. Poucos como ele conseguiram estabelecer o diálogo com a antropologia cristã em relação ao tema da vida eterna.

Sua obra é ímpar e neste mês de novembro suas reflexões nos ajudam a compreender o significado definitivo da experiência pela qual todos passaremos: A morte como experiência rumo a eternidade.

Cremos na vida eterna!! Essa expressão possui não somente um contudo; ela contém todo o ser da experiência da pessoa humana que ao longo da sua história vive voltada para Deus. Viver por viver não significa nada; viver para Viver tem todo o valor da existência. Amamos está vida, gostamos das coisas da terra, mas as vezes esquecemos que tudo isto é passageiro e que de forma concreta a nossa passagem pelo mundo sempre está na direção do eterno.

O Deus criador nos chama a cada dia a lhe dar um sentido completamente novo a tudo o que realizamos neste mundo. A Eternidade sempre será uma grande questão para todos. Uma dimensão que não pode ser limitada a uma espécie de 3D. De fato alguns católicos ainda consideram que a eternidade será um tempo “morto” onde nada se faz, nada se sente nada se Vive!

Uma das dimensões melhor trabalhadas pelo Juan Ruiz de la Peña é a dimensão do encontro com Deus que nos criou a sua imagem e semelhança. À semelhança é um dos pontos essenciais que não podemos perder vista. Deus escolheu a nossa condição para Ele também se encarnar; isto lhe dá um valor de eternidade ao humano. Nosso lugar definitivo não está aqui; em quanto vamos compreendendo nosso caminho rumo ao Eterno nos motiva. Vivamos cada vez mais atentos as coisas do Alto e a cada dia que teremos neste mundo nos preparemos para o Eterno; algo assim como uma sede constante de eternidade.

Padre José Rafael Solano Durán
Cura da Catedral

 

 

Plugin de comentários do Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *