Dom Geremias comemora três anos à frente da Arquidiocese de Londrina

Missa na Catedral celebrou a data, marcada por um ano intenso de trabalhos, atendimentos e ações em meio à pandemia

 

Um número pequeno de fiéis, cerca de 200, comparado ao que a Catedral comporta, participaram, nesta quarta-feira, 12 de agosto, da Missa de Ação de Graças pelos três anos de ministério episcopal de dom Geremias Steinmetz na Arquidiocese de Londrina. A missa presencial com restrições por causa do protocolo de segurança para enfrentamento da pandemia da COVID-19 contou com bem menos gente do que costumam ser as celebrações na catedral. Mas os fiéis ali presentes se uniram aos que, de suas casas pelos meios de comunicação, pararam um momento do dia para rezar pelo arcebispo.

 

“Hoje quero agradecer. Não dizer coisas feitas, mas agradecer a presença de tantas pessoas que mesmo em momentos difíceis rezaram e estiveram presentes. Obrigado, padres, porque o bispo sem os padres não é nada. Obrigado, povo de Deus, que deu seu testemunho na oração. E a promessa de sempre estar à disposição. Deus seja louvado”, falou o arcebispo na homilia.

 

Este terceiro ano de trabalho de dom Geremias na Arquidiocese de Londrina foi marcado por diversas atividades, dentre elas as visitas pastorais, a reforma do Lar Sacerdotal e a efetivação do 17º Plano de Ação Evangelizadora, publicado no fim de 2018. Todas as ações pastorais da arquidiocese, paróquias e comunidades, estão seguindo as definições indicadas no plano, com enfoque no estado permanente de missão, na Iniciação à Vida Cristã, animação bíblica, pequenas comunidades e a Igreja a serviço da vida plena para todos. Porém, todas as atividades previstas tiveram que ser adaptadas ou canceladas.

 

“O ano, apesar da diferença com os outros anos [por causa da pandemia], continua sendo um ano muito trabalhoso, e pelo que se prevê para os próximos meses serão também de muito trabalho, porque é um trabalho agora de retomada da agenda, em que muitas pastorais deverão começar do zero na sua organização e, sobretudo, na sua contribuição para com a sociedade”, aponta dom Geremias.

 

Neste período, muitos desafios foram colocados para o trabalho da Igreja como um todo, pois a maioria das atividades tiveram que ser revistas ou adiadas. . “Mas se por um lado nós perdemos nisso, por outro lado ganhamos em trabalhos internos e também numa manifestação mais interna da fé, nas famílias, no silêncio, no trabalho da comunicação, da Pascom, dos meios de comunicação, penso que saímos com um know-how muito interessante para o trabalho no futuro. Agora a grande pergunta é: ‘o que tudo isso permanece e o que a gente vai poder retomar e o que precisamos pensar diferente, criar para que possamos continuar o trabalho de evangelização?’”

 

Dom Geremias conta que mesmo em meio à pandemia, seu trabalho não parou. “Neste tempo todo nós conseguimos continuar muito fortemente o trabalho de atendimento das pessoas, que no tempo da pandemia apresentaram muitas questões, não são simplesmente aquelas questões normais do dia a dia de uma cúria ou da vida de um bispo, mas também muitos problemas, às vezes de ordem psicológica, muitos problemas na área de famílias”, conta. “Mas também durante este tempo de pandemia estivemos um trabalho de estar junto de pastorais, de movimentos através do trabalho das lives do arcebispo, que me colocou em contato com muitas pessoas, com muitas pastorais, movimentos e muitas pessoas em contato comigo, acho que uma das questões fortes deste ano é esse trabalho”, aponta dom Geremias.

 

A parceria da Arquidiocese de Londrina com a prefeitura também é uma marca forte do trabalho de dom Geremias no tempo de pandemia. “A parceria com a prefeitura, com as casas que a arquidiocese cedeu, e a campanha que permanente desde o mês de março para doação de mantimentos para famílias necessitadas e o acompanhamento que isso tudo tem gerado juntamente com a prefeitura das pessoas verdadeiramente vulneráveis que moram aqui em Londrina.”

 

Dom Geremias também destaca, neste último ano, uma otimização realizada na Cáritas, para atender a população em vulnerabilidade, no Lar Sacerdotal e a reforma da cripta da Catedral. “O Lar Sacerdotal é um espaço para os sacerdotes, especialmente doentes ou idosos, que precisam de tratamento especial. Ali é um espaço para poderem viver, se recuperar de saúde e assim por diante. Ele foi reestruturado neste ano, adaptado a novas exigências, inclusive colocamos lá um padre que é responsável por cuidar dos padres que moram ali. E a reforma da cripta. Ficou uma obra muito bonita que agora o nosso povo vai poder visitar com tranquilidade, especialmente com a volta das celebrações mesmo que reduzidas.”

 

Visitas Pastorais
Uma marca importante do último ano de trabalho de dom Geremias são as visitas pastorais às comunidades da arquidiocese. Começando pela Paróquia Nossa Senhora das Graças, de Centenário do Sul, em agosto do ano passado, passou pelas paróquias de Rolândia, Cambé e Catedral Metropolitana de Londrina. Para este ano estavam previstas cerca de 20 visitas que, por conta da pandemia, tiveram que ser adiadas. “A visita pastoral é a visita do bispo a uma paróquia, não é uma fiscalização, mas é estar presente no meio do povo, poder responder um pouquinho mais as questões do nosso povo, poder ouvir, poder conhecer um pouquinho mais a cultura, o jeito do nosso povo, as manifestações culturais, as diferenças também na área de administração pública, da organização da própria igreja nas mais diferentes paróquias”, explica.

 

Visita Ad Limina
A Visita Ad Limina dos bispos do Paraná ao Vaticano também deu o tom dos trabalhos do último ano do arcebispo, com muitos meses de preparação e expectativa. Foram 10 dias de visitas, de 17 a 27 de fevereiro, em que os bispos paranaenses puderam conversar com o Papa Francisco, conhecer e trocar experiências com os padres que trabalham nos dicastérios da Cúria Romana e rezar diante dos túmulos dos apóstolos São Pedro e São Paulo. Como presidente do Regional Sul 2 da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), dom Geremias fez um discurso ao Papa Francisco em nome dos bispos paranaenses, apresentando o Regional Sul 2, que conta com 18 dioceses e eparquias de rito ucraniano.

Juliana Mastelini Moyses
Pascom Arquidiocesana
Fotos Guto Honjo

 

Fonte: Arquidiocese de Londrina

Plugin de comentários do Facebook