A origem:

A Igreja Católica está presente na região de Londrina desde o início do povoamento, em 1929, quando foi criada a Paróquia de Sertanópolis.

Com o crescimento da população, em 1934, foi reivindicado ao Bispo de Jacarezinho, Dom Fernando Taddei, a criação da Paróquia de Londrina e, no dia 09 de março do mesmo ano, Dom Fernando atendeu o pedido, nomeando como pároco da nova Igreja o Pe. Carlos Dietz.

Foi durante a primeira missa, campal, celebrada em 11 de março e com um Altar provisório feito sob uma capela de palmito, erguida em uma clareira na mata, que Dom Fernando Taddei escolheu o Sagrado Coração de Jesus como padroeiro da nova Paróquia, oferecendo uma imagem para ser colocada na Igreja que seria erguida.

Devido a um descumprimento das normas canônicas da época pelo pároco em atividade da Paróquia de Sertanópolis, o Bispo Dom Fernando Taddei anexou a Paróquia daquela cidade à Paróquia de Londrina, colocando sob sua jurisdição, ainda no seu nascimento, 54 localidades, bairros e povoados. Até o ano de 1983, estava sob a responsabilidade da Paróquia Sagrado Coração de Jesus uma área de quase 40 mil quilômetros quadrados.

Enquanto a construção da matriz acontecia, uma pequena casa de madeira localizada na Av. Paraná, esquina com a rua Prof. João Cândido, serviu de moradia ao pároco e também como local para as celebrações.

Foi em 19 de agosto de 1934 que, com planta de Dr. Willie Davids, a Igreja, de madeira, foi inaugurada, sendo a benção dada pelo Pe. Erasmo Raabe, representando o Bispo de Jacarezinho.

Com o passar dos meses, grandes melhoras foram sendo introduzidos na Igreja, como a instalação de dois sinos doados pelas famílias Dequeche e Udihara, porém, as melhorias não comportavam mais o número crescente de fieis e, em 1937, uma comissão foi formada com objetivo de construir uma nova Matriz em alvenaria.

A segunda Matriz:

No dia 13 de fevereiro de 1938 foi lançada a pedra fundamental na nova Matriz, no mesmo local da Igreja anterior. Na pedra foi colocada a ata assinada pelos participantes do evento, documento encontrado intacto anos depois, quando a Igreja foi derrubada para dar lugar à outra.

Em 18 de setembro de 1983, o pároco, Pe. Eugênio Herter abençoou a primeira parte do prédio novo, que teve sua construção paralisada diversas vezes e, apenas no mês de dezembro, recebeu iluminação elétrica e alguns bancos provisórios.

Foi em 24 de outubro de 1943, com a conclusão do telhado – ainda sem o forro, que a nova Matriz foi inaugurada. Somente em fevereiro de 1945 a Igreja foi rebocada e apenas em 1949 as duas torres ficaram prontas.

Londrina mantinha o ritmo alucinante de crescimento e, em 1954, atendendo pedidos da população, foram apresentados os planos e plantas elaboradas na Europa para a construção de uma Igreja maior. Já em dezembro daquele ano, o pároco Alberto Strittmater abençoava as obras recém iniciadas na área dos fundos da Matriz, porém, na expectativa da criação da Diocese de Londrina, os planos da construção foram modificados a fim de compatibilizar o projeto da Igreja Matriz para abrigar a Catedral de Londrina.

No dia 1º de fevereiro de 1956, o Papa Pio XII criou as dioceses de Londrina e Maringá e no dia 17 de fevereiro de 1957, Dom Geraldo Fernandes tomou posse como primeiro Bispo de Londrina.

A Catedral:

Em junho de 1968, a Igreja Matriz antiga, de material, começou a ser totalmente demolida e a nova Igreja, que é a atual, projetada por Edoardo Rosso e Yoshimasa Kimachi, começou a tomar forma de maneira lenta.

Hoje, a Catedral de Londrina, alicerçada em pedra e cimento e estruturada no aço, no ferro e no alumínio, é um verdadeiro monumento de arte e de fé. Moderna e Majestosa, é um oásis da piedade e da solidariedade para aqueles que acreditam no poder da oração.


Párocos:

  • Padre Carlos Dietz (1934 – 1935)
  • Padre Germano Mayer (1936)
  • Padre Paulo Kuhn (1936 -1938)
  • Padre Eugênio Herter (1938 – 1947)
  • Padre Alberto Strittimatter (1947 – 1960)
  • Padre Francisco Buttermuller (1960 – 1962)
  • Padre Bernardo Greis (1962 – 1972)
  • Padre Clemente Hermann (1972 – 1973)
  • Padre Ernesto Krause (1973 – 1984)
  • Padre João Azevedo (1984 – 1985)
  • Padre Edson dos Santos (1985 – 1987)
  • Padre Bernard Carmel Gafá (1987 – 2018)
  • Padre Rafael Solano (2018 – atualmente)

Arcebispos:

  • Dom Geraldo Fernandes Bijos (1957-1982)
  • Dom Geraldo Majella Agnelo (1983-1991)
  • Dom Albano Bortoletto Cavallin (1992-2006)
  • Dom Orlando Brandes (2006-2016)
  • Dom Geremias Steinmetz (2017 – atualmente)