A BÍBLIA

            A Sagrada Escritura é a Palavra de Deus redigida sob a inspiração do Espírito Santo (CIC, n.81).

            Nos seus três anos de vida publica, Jesus deixou inúmeros ensinamentos aos apóstolos para que eles pudessem levar a palavra de Deus a todas as criaturas. Todo o ensinamento de Cristo teve e tem até hoje um único fim: ensinar-nos a amar a Deus para podermos viver com Ele na eternidade.

            Após a Ascensão de Jesus ao Céu, os apóstolos ensinaram e converteram muitas pessoas. E esses ensinamentos foram passados de geração em geração, assim como ocorre hoje. Os escritores cristãos dos primeiros tempos – os Padres da Igreja – foram os que registraram os ensinamentos orais dos apóstolos.

            A Bíblia é a regra da fé. Mas ao contrario dos nossos irmãos protestantes, a Bíblia na Igreja Católica é interpretada pela ininterrupta tradição da comunidade cristã. Na comunidade protestante, cada individuo faz sua própria interpretação.

            A palavra Bíblia vem do grego biblion que significa “o livro”. Ela contém 73 livros. Foi escrita por autores diferentes, porém todos inspirados pelo Espírito de Deus. Originalmente ela foi escrita na língua hebraica e em grego. A partir desses textos, São Jerônimo os traduziu para o Latim, a chamada “Vulgata”. É dessa tradução que derivam as traduções modernas, que são versões em língua vernácula.

            Toda tradução da Bíblia deve ser autorizada pelo Papa e pelos bispos do país. Isso demonstra que a tradução é adequada e está livre de erros na medida em que as coisas humanas podem estar. Somente devemos ler as versões aprovadas. Nas páginas iniciais da Bíblia há um tipo de “selo” de aprovação eclesiástica. Se não tiver, é porque não é aprovada.

            Há somente uma Bíblia, e ela é dividida em Antigo Testamento e Novo Testamento. No Antigo Testamento, há 46 livros de antes da vinda de Cristo. E no Novo Testamento há 27 livros, que foram escritos após a vinda de Cristo. Ao contrário, a bíblia protestante tem 66 livros, sendo 39 livros no Antigo Testamento e 27 no Novo Testamento. No Novo Testamento nada mudou. Mas no Antigo Testamento da bíblia protestante, não há os livros de Tobias, Judite, Sabedoria, Eclesiástico, Baruc, 1 e 2 Macabeus (e partes de Ester e Daniel). Esses livros foram escritos em grego e os judeus, por volta de 100 a.d.C. decidiram não os considerar como parte da Sagrada Escritura. Entretanto, os cristãos decidiram incluir esses livros na Escritura, por entenderem que também foram escritos sob a luz do Espírito Santo. Com a reforma protestante no século XVI, Lutero decidiu adotar o Antigo Testamento dos judeus, com esses sete livros a menos.

 

Mas por que ler a Bíblia?

            A nossa alma deve ser alimentada diariamente com a palavra de Deus. É a nutrição que nosso coração precisa para estar sempre na presença de nosso Senhor. Mas infelizmente, não vemos os católicos lendo a Bíblia regularmente. Não adianta tê-la e deixá-la fechada em cima de uma mesa ou no quarto. A Bíblia é para ser lida! Se comprometa a ler um trecho todos os dias. Perdemos tanto tempo nas redes sociais e bisbilhotando a vida alheia, mas não temos cinco minutos para nos alimentar da palavra de Deus? Marque em seu relógio cinco minutos. É o suficiente para você estar mais próxima (o) de Deus para conhecê-lo.

            Através da Sagrada Escritura, Deus fala conosco. Ele nos mostra o caminho a seguir, nos ensina como devemos agir ou como devemos ser e nos instrui para chegar ao céu. A Sagrada Escritura contém palavras de vida eterna.

            Para nos assemelharmos a Jesus precisamos conhecê-lo. E o que significa se assemelhar a Cristo? É querer pensar como Cristo pensa, julgar como Ele julga, falar e agir como Ele falaria e agiria. Isso é se moldar ao Senhor; ser Sua imagem e semelhança. E o único caminho é o Evangelho.

 

            Ao final desses meses de estudo sobre a doutrina católica, faça o sincero propósito de ler diariamente a Sagrada Escritura para ser outro Cristo no meio do mundo. Em um mundo cheio de violência e falta de amor, devemos ser Cristo que Passa na vida de todos os que cruzarem o nosso caminho.

            Finalizo esse estudo com um dos mais eloquentes ensinamentos deixado pelo meu amadíssimo pai espiritual, São Josemaria Escrivá:

 

“Que a tua vida não seja uma vida estéril. – Sê útil. – Deixa rasto. – Ilumina com o resplendor da tua fé e do teu amor.

Apaga, com a tua vida de apóstolo, o rasto viscoso e sujo que deixaram os semeadores impuros do ódio. – E incendeia todos os caminhos da terra com o fogo de Cristo que levas no coração.”

Caminho, n.1.

            Deixem rasto!

            Foi uma grande alegria partilhar a fé católica com todos.

 

           Até breve!

 

Andressa Pelaquim

Plugin de comentários do Facebook