O PAI-NOSSO

            O Pai – Nosso é a oração que Jesus nos ensinou. Ela é chamada de oração dominical. A oração dominical é a mais perfeita das orações (São Tomás de Aquino, Suma Teológica).

            Vamos explorar cada parte do Pai-Nosso.

            Na primeira parte do Pai-Nosso damos honra e glória a Deus.

            Pai Nosso que estais nos céus – que alegria podermos chamar Deus de Pai. E Ele quis que fosse assim. Aqui se encontra todo o amor de Deus por nós. E Ele nos ama individualmente, como se fôssemos filhas (os) únicos. E nos pede o amor, de forma livre.

            A palavra “Nosso” lembra- nos que não podemos estar com o coração centrado em nós mesmo. A oração do Pai-Nosso é uma oração de perfeita caridade: de amor a Deus a quem nos oferecemos sem reservas (Trese, 2014).

            Santificado seja o vosso nome – nosso primeiro dever é adorar a Deus. Dar glória a Deus é o nosso fim aqui na terra.

            Venha a nós o vosso reino – aqui pedimos que a graça de Deus faça morada em nós e nos corações humanos.

            Seja feita a vossa Vontade assim na terra como no céu – que todos os seres humanos sejam fiéis a Deus e lhe ame com prontidão e alegria, próprios de filhos. E que saibamos aceitar a Sua vontade em detrimento da nossa. Afinal, somente nosso Pai sabe o que é melhor para nós. Alinhar a nossa vontade com a de Deus e aceitar quando não é o que queremos, não é fácil. Mas com a graça é possível ser dócil. “Tudo o que Vós quiseres, meu Deus, eu também o quero, mesmo que me custe”.

            Na segunda parte do Pai-Nosso, pedimos ao Pai por nossas necessidades.

            O pão nosso de cada dia nos daí hoje – o pão simboliza todas as nossas necessidades materiais e espirituais.  As palavras “de cada dia” referem-se à palavra “hoje”. Deus nos diz para nos preocuparmos com o hoje. O dia de amanhã terá suas próprias preocupações. Deus conhece tudo e se interessa por cada coisa que nos acontece. E por isso sempre estará ao nosso lado, aconteça o que acontecer. Recomendo a leitura e meditação de Mateus (6, 25-30).

            Perdoai –nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido é a parte mais dura e difícil da oração. Para sermos perdoados por Deus devemos primeiro perdoar. Deus nos pede para amarmos o pecador e detestar o pecado. Quando perdoamos quem nos fez mal, mostramos que pertencemos a Cristo.

            Não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal – “Não nos deixeis cair em tentação”: aqui não pedimos para Deus nos livrar das tentações. Se Deus nos livrar de todas as tentações, não teremos como lutar para chegar ao céu.  Pedimos para Deus nos livrar de toda tentação que seja demais para nossas forças e pedimos também a fortaleza para vencer as tentações que surgirem. E por fim, pedimos “mas livrai-nos do mal”: pedimos ao nosso Pai proteção de todos os males físicos e espirituais que possam assolar a nossa vida e alma.

 

“Eis como deveis rezar: PAI NOS­SO, que estais no céu, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso Reino; seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos aos que nos ofenderam; e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal.”
(Mateus 6: 9-13)

 

 

 

Andressa Pelaquim

Plugin de comentários do Facebook