A ORAÇÃO

O que é a oração?

            A oração é a elevação da mente e do coração a Deus. Sempre podemos e devemos estar em oração. Estar em oração é ter o coração arrebatado pelo amor de Deus.

            A necessidade de orar está dentro de nós, pois nossa alma necessita estar em contato com nosso Criador. Somos totalmente dEle e sabemos que tudo que temos e somo vem dEle. E sem oração não há salvação. Orar não é um ato de piedade, mas sim de justiça. É nosso dever de filhos nos dirigirmos ao Senhor.

 

A oração tem quatro fins:

            1) Adorar a Deus

            Jesus ofereceu uma perfeita adoração ao Pai na Cruz. Na oração no Pai Nosso, Jesus nos ensina: “Santificado seja o vosso nome.”

            2) Reconhecer a bondade de Deus e agradecer-Lhe

            Devemos ter muitos atos de gratidão ao longo do dia e da nossa vida.     Agradeça aos dons e talentos que Ele lhe concedeu, as alegrias, as graças alcançadas. E não se esqueça de agradecer pelas dificuldades, pelo que deu errado no dia, pois para tudo Deus tem um propósito.

            3) Pedir perdão

            Devemos fazer muitos atos de contrição ao longo do dia pedindo perdão para nosso Senhor. Somos falhos e precisamos retificar sempre para nos elevarmos a Deus. Não deixemos para depois.

            4) Pedir as graças e os favores de que necessitamos para nós e para os outros

            Sim, esse é o ultimo fim da oração. Mas normalmente esse é sempre o primeiro. Pedir, pedir, pedir somente é querer forçar Deus a dar o que queremos. Deus sabe o que nos faz falta e conhece todas as nossas necessidades desde toda a eternidade. Jamais devemos esquecer-nos de agradecer-Lhe antes de pedir.

 

Oração perfeita

Adoração – agradecimento – reparação – petição     

            Quando rezamos aos santos ou a Virgem estamos também adorando a Deus. Deus se alegra quando nos dirigimos a Sua Mãe e aos seus amigos.

 

Tipos de Oração

Oração vocal

            A oração vocal é aquela na qual a mente, o coração e a voz se elevam a Deus para adorar, agradecer, pedir perdão e suplicar. Não necessariamente precisa ser audível. A oração vocal também é gesto, como uma inclinação de reverência ao ouvir o nome de Jesus ou da Virgem. Quando é um grupo ou família que reza, é importante que seja audível. E Cristo se alegra com as orações em grupo e em família – “porque onde acham dois ou três reunidos em meu nome, ai estou Eu no meio deles” (Mt 18, 20).

            A oração do santo terço e as novenas são orações vocais privadas. Mas quando é a Igreja que reza em nome de Cristo, temos a oração litúrgica. A Santa Missa é uma oração litúrgica.

 

Dicas para rezar o Santo Terço:

            Muitas pessoas dizem que não tem tempo para parar e rezar o terço, que é longo, etc. Mas não há necessidade de parar o que está fazendo para rezar. Podemos rezar o terço em partes. Se você não consegue ficar 20 minutos somente dedicados ao terço, distribua os mistérios ao longo do dia. Você também pode rezá-lo indo para o trabalho, no transito, enquanto lava a roupa ou a louça. Há aplicativos que você pode ouvir o terço. Todos os nossos afazeres e momento do dia são ocasiões para elevarmos nossa mente e nosso coração para Deus. Agora não há mais desculpa.

            Comece rezando duas ou três vezes por semana. Reze com seus filhos. Convide seu esposo ou esposa para rezar. Ou aquele amigo ou amiga. Com o tempo, se proponha a rezar todos os dias, assim como Nossa Senhora pediu em todas as aparições que fez em Fátima “Rezai o Rosário todos os dias”. Ah, e não se esqueça de meditar os mistérios para bem rezar o terço.

 

Oração Mental

            A oração mental também é chamada de meditação. Na oração mental nossa mente e nosso coração é quem reza a Deus, sem palavras ou gestos. A essência da oração mental é silenciarmos e deixar que Deus nos fale.

            Meditar é ruminar a palavra Deus, pensar sobre uma verdade de fé ou sobre algum episódio da vida de Jesus ou dos santos. Devemos sempre meditar o Evangelho, pois é através dele que Jesus nos ensina a viver e a chegar ao céu. Além disso, por meio dos Evangelhos conhecemos Jesus. Para crescermos em santidade e para ter intimidade com o Senhor precisamos conhecê-Lo.

            São Josemaria recomendava usar sempre trechos do Evangelho na oração mental. E ele aconselhava entrar na cena descrita, se fazer um dos personagens, para nos conectarmos mais fortemente com Jesus.

     

“Escreveste-me: “Orar é falar com Deus. Mas de quê?” – De quê? DEle e de ti: alegrias, tristezas, êxitos e fracassos, ambições nobres, preocupações diárias…, fraquezas!; e ações de graças e pedidos; e Amor e desagravo.
Em duas palavras: conhecê-Lo e conhecer-te – ganhar intimidade!”

Caminho, n. 91

 

            O catecismo da Igreja traz que um cristão deve querer meditar com frequência, para não se tornar semelhantes aos três primeiros terrenos da parábola do semeador.

 

 Mas como começar a fazer oração mental?

 

  • Marque diariamente um horário fixo com Jesus. Ele estará te esperando no Sacrário ou você pode rezar diante de Cristo Crucificado.
  • Faça inicialmente 10 min de oração pela manhã e a tarde;
  • Coloque-se na presença de Deus – “Meu Senhor e Meu Deus, creio firmemente que estás aqui, que me vês, que me ouves. Adoro-Te com profunda reverência. Peço-Te perdão dos meus pecados e graça para fazer com fruto este tempo de oração. Minha Mãe Imaculada, São José, meu Pai e Senhor, meu Anjo da Guarda, intercedei por mim.”
  • Comece sua oração se recolhendo – “Não sabes orar? – Põe-te na presença de Deus, e logo que começares a dizer: “Senhor, não sei fazer oração!…”, podes ter certeza de que começaste a fazê-la.” Caminho, n.90. Esse é o momento para conhecer Jesus e se dar a conhecer. Jesus é seu amigo. Conte a Ele suas alegrias, dificuldades, sonhos, etc. Agradeça, peça perdão e peça conselhos. Se não sabe o que dizer, diga: “Senhor, não tenho nada para dizer, mas quero ficar aqui Contigo, em silêncio.” Ele se alegrará infinitamente.
  • Ao final, agradeça a Deus por essa meditação – “Dou-Te graças, meu Deus, pelos bons propósitos, afetos e inspirações que me comunicaste nesta meditação; peço-Te ajuda para os pôr em prática. Minha Mãe imaculada, S. José, meu Pai e Senhor, Anjo da minha Guarda, intercedei por mim.”

 

            Ao longo do tempo aumente seu tempo de oração mental com o Senhor. O ideal é chegar a 30 min de manhã e 30 min à tarde. Os namorados não se falam todos os dias? Então por que não ter um tempo diário para conversar com o nosso Amado Jesus?

            Podemos levar para nossos momentos de oração livros espirituais, com pontos de meditação. Livros como Caminho, de São Josemaria Escrivá e A Imitação de Cristo, de Tomás de Kempis são ótimos para nos ajudar a falar com Deus. Santa Tereza de Jesus recomendava ir sempre para a oração com um livro. Se ela tinha dificuldade, imagina nós.

 

Oração de Contemplação

            Outro tipo de oração que podemos fazer é a oração de contemplação. Nela cessamos totalmente nossa mente por um ato de amor e deixamos Deus agir em nós como Ele bem quiser.

            “A contemplação é o olhar de fé fixado em Jesus. Eu olho para Ele e Ele olha para mim” (CIC, n.2715).

            Precisamos silenciar para ouvir o que Deus tem a nos falar. Não é possível ouvir a Deus no barulho. Sem recolhimento, nossa oração não chega ao Senhor.

            Distraiu-se involuntariamente na oração? Peça perdão e retome. Já as distrações voluntárias e recorrentes nascem da indiferença e da falta de amor a Deus. Quanto mais nos esforçarmos para rezar, para estarmos ali presentes, mais agradável será a Deus nossa oração.

            Uma virtude importante para ser alma de oração é a humildade. Ser humilde é ter consciência da nossa total dependência de Deus. Oração e orgulho não combinam. Abaixar a cabeça e se ajoelhar para reconhecer o próprio nada diante de Deus exige uma profunda humildade. Além da humildade, devemos ter a caridade. Sem caridade nossa oração não dá frutos. 

            A oração também exige uma confiança cheia de amor na bondade de Deus. Ele nos escuta e sabe sempre o melhor para nós. E devemos ser perseverantes na oração. Deus tem o seu tempo, e o tempo de Deus não é igual ao nosso. Ele só te dará algo se for para sua salvação e se você estiver preparado (a) para receber.

“Persevera na oração. – Persevera, ainda que o teu esforço pareça estéril. – A oração é sempre fecunda.”

Caminho, n.101

 

Por quem devemos rezar?

            Em primeiro lugar por você e por suas intenções e necessidades. Não é egoísmo. Devemos pedir a Deus diariamente por nossa alma e por nossa salvação. Depois devemos pedir por pessoas próximas a nós – família, parentes e amigos. Além disso, precisamos rezar por nossos inimigos, por quem fez mal para nós e pelos nossos benfeitores, especialmente por quem cuida da nossa alma. Peçamos também por quem fizemos sofrer, quem talvez levamos ao pecado. E por fim, devemos pedir pelo nosso país, pelas autoridades e pelas almas do purgatório.

 

Orações básicas que todo católico deve saber:

            Pai – Nosso, Ave – Maria, o Credo dos Apóstolos, o Confesso a Deus Todo-Poderoso, o Glória ao Pai, os atos de Fé, Esperança, Caridade e de Contrição.

            Quando devo orar? SEMPRE!!!

 

Santo, sem oração?!… – Não acredito nessa santidade.

Caminho, n.107

 

 

Andressa Pelaquim

Plugin de comentários do Facebook