As virtudes e os dons do Espírito Santo

         O estudo do capítulo X será dividido em duas partes. Na primeira, falaremos sobre as virtudes e na segunda parte, veremos sobre os dons e frutos do Espírito Santo.

As virtudes

         As virtudes são essenciais para a vida humana e espiritual. Valeria aqui várias aulas para falar sobre de cada uma delas. Mas, a proposta será introduzir o assunto para mais tarde, falarmos profundamente sobre esse tema.

O que é virtude?

         Virtude é a inclinação e a prontidão para conhecer e praticar o bem e evitar tudo que é mau. As virtudes regulam os atos e propiciam o domínio e a alegria (Faus, 2014). Pode-se classificá-las em virtudes teologias e morais.

         Quando somos batizados é infuso em nós, pelo Espírito Santo, três virtudes teologais ou virtudes divinas: a fé, a esperança e caridade. Essas virtudes são consideradas divinas, pois dizem respeito a Deus.

  • A virtude da Fé

         A fé é uma virtude sobrenatural que nos capacita a amar tudo o que Deus revelou. Pela fé, o homem submete completamente sua inteligência e sua vontade a Deus” (Catecismo, 143). É através da virtude da fé que somos capazes de dar o nosso sim diário a Deus.

         “O discípulo de Cristo, não somente deve guardar a fé e viver dela, como também professá-la, dar testemunho dela e propagá-la” (Catecismo, 1816; cf. Mt 10, 32-33).

  • A virtude da Esperança

         A virtude da esperança nos faz almejar o céu, a querer estar na eternidade com Cristo. Esperança é acreditar que Deus fará tudo por nós e que fará sempre muito melhor do que sonhamos. É saber que sem Ele não podemos nada. Esperança é depositar toda nossa confiança nEle.

  • A virtude da Caridade

         A virtude da caridade nos permite amar a Deus de todo o nosso coração e com toda a nossa alma, e consequentemente, os nossos irmãos e irmãs. Um amor sobrenatural que transcende. “Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei” (Jo 15, 12).

         É importante ressaltar que perdemos a caridade quando cometemos um pecado mortal. A fé e a esperança perdem-se por meio de pecados cometidos contra elas.

Virtudes morais

          As virtudes morais ou também chamadas de humanas são, segundo o Catecismo da Igreja Católica (n.1804), “atitudes firmes, disposições estáveis, perfeições habituais da inteligência e da vontade, que regulam os nossos atos, ordenam as nossas paixões e guiam o nosso procedimento segundo a razão e a fé.”

         As virtudes nos ajudam a ter uma vida moralmente boa e nos transformam em seres humanos melhores para nós e para os outros. Para tanto, são dependentes da nossa vontade, ou seja, precisamos querer cultivá-las em nossa vida diária.

         Entre todas as virtudes humanas há quatro de denominamos de virtudes cardeais: prudência, justiça, fortaleza e temperança. Essas virtudes são os pilares das outras virtudes humanas. Dessa forma, se não há a virtude da fortaleza, dificilmente haverá as virtudes da constância e da paciência, por exemplo.

  • Prudência: uma pessoa prudente busca discernir antes de tomar uma decisão, pondera ao falar, etc.
  • Justiça: uma pessoa justa dá a Deus o que é de Deus e age com justiça com os outros lhes dando o que é devido.
  • Fortaleza: uma pessoa forte encara as dificuldades sem esmorecer, sem reclamar e com a certeza de que Deus está tomando conta de tudo. Se der errado, com muita serenidade, tentará novamente. Resiste às tentações de forma firme e encara os medos.
  • Temperança: uma pessoa temperante é alguém moderado ao falar, ao comer, ao agir e ao usar os bens terrenos. A temperança concede ao individuo o equilíbrio necessário para usufruir das coisas do mundo.

         Busquemos através dessa leitura a aquisição das virtudes. Primeiro vamos avaliar quais nos faltam ou encontram-se meio “capengas”. E depois, vamos nos propor a melhorar, sempre contanto com as graças de Deus.

         Para aprofundamento, recomendo a leitura do livro “A conquista das virtudes”, do Pe. Francisco Faus.


Link: “A conquista das virtudes”

 

Questões para refletir:

  • Como tenho cultivado a minha fé?
  • Será que tenho atitudes caridosas com meus amigos, familiares e conhecidos?
  • Tenho confiança em Deus e que com Ele posso tudo?
  • Sou uma pessoa prudente? Falo e/ou faço as coisas sem pensar e causo mal estar nas pessoas? Sou inconveniente? Sou precipitada (o) ao tomar decisões?
  • Sou justa (o) nas minhas decisões e ao agir?
  • Sou forte diante as dificuldades diárias? Quando algo dá errado esmoreço com facilidade e desisto? Fujo das coisas que dão trabalho?
  • Sou moderado (a) ao comer, beber e ao falar? Tenho cuidado com meus atos e palavras? Gasto dinheiro em excesso e sem necessidade aparente?

Andressa Pelaquim
(Paroquiana da Catedral Metropolitana de Londrina)

Plugin de comentários do Facebook