O Sacramento da Ordem

          Na Última Ceia com os Apóstolos, Jesus instituiu o sacramento da Ordem. Mas os três anos anteriores referentes à vida publica de Jesus foram anos de preparação para esse momento. 

          Na Última Ceia (Quinta-feira Santa), além de instituir a Eucaristia, Jesus ordenou os apóstolos em sacerdotes, para que renovasse na missa o sacrifício da Cruz. E deu a ordem para que estes passassem para seus sucessores esse sacramento. “Fazei isto em memória de mim” (Lc 22,19). Os sacerdotes oferecem a cada Santa Missa sacrifícios em nome de Cristo e no do Corpo Místico, a Igreja. 

          Há no sacramento da Ordem três graus: bispos, presbíteros e diáconos. Os bispos são sucessores dos Apóstolos e têm a plenitude do sacramento da Ordem. Eles podem realizar o sacramento do Crisma (Confirmação) e conferir o sacramento da Ordem. Os presbíteros (padres/sacerdotes) estão unidos ao bispo, porém em um grau subordinado, sendo cooperador da Ordem Episcopal. Eles transformam o pão e o vinho em Corpo e Sangue de Cristo e perdoa os pecados. Já os diáconos, não possuem o sacerdócio, sendo um grau de serviço (diaconato) ao bispo e ao presbítero. O diácono pode batizar e pregar, administrar a Eucaristia, assistir o sacramento do matrimônio, etc. 

          Os diáconos sempre foram importantes para auxiliar o bispo e os presbíteros. Entretanto, o diaconato caiu em desuso, se tornando apenas uma etapa antes de obter o grau de sacerdote. O Concilio Vaticano II reestabeleceu o diaconato permanente como grau próprio. O diaconato permanente pode ser dado para homens casados e enriquece a missão da igreja. 

Como se escolhe um bispo?

          O bispo é escolhido pelo Papa entre os sacerdotes. Sendo escolhido, o sacerdote é elevado à ordem episcopal, recebendo a terceira imposição das mãos. 

Mas e o papado, é um grau superior ao bispo? 

          Não. Há somente três graus. O Papa é um bispo, que foi eleito para guiar a Igreja. Ele é o sucessor de Pedro. Ele não tem poder espiritual maior que o bispo, apenas a autoridade é que muda. A diferença entre os bispos e o Papa é que para os sucessores de Pedro, Jesus concedeu o poder da infabilidade, que é preservar o Papa do erro quando este se pronuncia publicamente em matérias de fé ou de moral. 

Há também outros ofícios:

  • Cardeais: os cardeais são conselheiros do Papa e não tem nada a ver com a Ordem sacerdotal. São eles que escolhem o novo Papa. O titulo de cardeal foi instituído por Nicolau II no ano de 1059. 
  • Arcebispos: O arcebispo é o bispo Ordinário que cuida de várias dioceses que se agrupam, formando uma província da Igreja. A diocese principal dessa província denomina-se arquidiocese. 
  • Bispo Auxiliar: é um bispo titular que não tem uma diocese própria e que atua junto ao bispo Ordinário em uma diocese grande. 

          E como se tornar faz para receber o sacramento da Ordem?

          Para se tornar sacerdote, o jovem rapaz deve ter 25 anos feitos e de preferência que tenha pais católicos. Em casos de filho de matrimônio misto, a igreja permite a ordenação, desde que os demais fatores sejam favoráveis. O candidato deve ter reta intenção de se dedicar ao serviço de Deus na Igreja para guiar muitas almas para a santidade, inclusive a sua própria. Além disso, deve concluir os estudos de teologia e filosofia para ser ordenado. 

          A vocação ao sacerdócio é um chamado de Deus. É através de uma vida de oração e de intimidade com o Senhor que o jovem reconhece e discerne esse chamado. Muitos pensam que é preciso ser santo para ser padre. Mas na verdade é preciso querer ser santo e querer levar as almas aos altares do céu. Se um jovem se sente chamado à vida sacerdotal, este deve falar com seu pároco ou com seu diretor espiritual.

          Jesus continua a chamar todos os dias os jovens, assim como fez com os Apóstolos. A Igreja, mais do que nunca, precisa de santos sacerdotes. Se você que está lendo esse artigo se sente chamado por Deus para algo grande e que seja amor, não tenha medo de dar o seu SIM a Deus. Ser dEle por completo é uma dádiva, e receber a graça imerecida de servir ao reino é o reflexo do amor infinito de nosso Senhor por cada um de nós. Diga sim a Ele e leve muitas almas para o céu. Jesus te espera!

Andressa Pelaquim

Plugin de comentários do Facebook