Os Dons e os Frutos do Espírito Santo

         Nessa segunda parte, conheceremos os setes dons e os doze frutos do Espírito Santo.

         Quando recebemos a graça santificante no Batismo, o Espírito Santo nos infunde também, além das virtudes teologais, os Seus sete dons. Os Seus sete dons são os lubrificantes da alma e nos ajudam a crescermos na graça de Deus.

Sete dons do Espírito Santo

  • Sabedoria: nos ajuda e compreender e a apreciar tudo que é de Deus. A sabedoria nos faz encarar os bens terrestres como degraus para alcançarmos a santidade.
  • Entendimento: auxilia-nos a compreender as verdades de fé e como colocá-las em consonância com nossas necessidades.
  • Conselho: é um dom que auxilia-nos a tomar uma boa decisão ou escolher algo, de acordo com o que Deus quer para nós e para o nosso bem espiritual.
  • Fortaleza: além de se uma virtude moral/humana, também é um dom do Espírito. A fortaleza nos ajuda a termos uma vida heroica; a enfrentar nossos defeitos, a encarar as dificuldades que surgem, a persistir em projetos difíceis, etc.
  • Ciência: esse dom nos ilumina a reconhecer o que é útil ou não para nossa vida espiritual. Une-se ao dom do conselho.
  • Piedade: uma pessoa piedosa não é aquela que vive na igreja, faz orações intermináveis ou anda com o olhar baixo. Piedade não tem nada a ver com isso. O dom da piedade nos concede a graça de amar, confiar e reverenciar nosso Senhor. A pessoa piedosa tem uma grande intimidade com Deus e confia nEle plenamente.
  • Temor de Deus: esse dom não significa que devemos ter medo de Deus. O dom do temor de Deus equilibra o dom da piedade. Devemos saber que Deus nos ama incondicionalmente, mas também que Ele é justo. Sabemos que Ele nos ama muito e nos perdoa, se assim quisermos. Mas isso não nos dá o direito de sair por ai cometendo todos os tipos de pecados. Se morrermos hoje em pecado grave, mesmo Deus nos amando muito e com muita dor, Ele irá nos julgar de acordo com sua conduta. Por isso que devemos fazer a nossa parte sempre.

 

Os frutos do Espírito Santo

         “São os resultados da graça santificante, dos dons e das virtudes” (Trese, 2014). Todo cristão que vive adequadamente sua Fé, segundo os desígnios de Deus deve cultivar esses 12 frutos. 

  • Caridade: quem tem a caridade vê Cristo nos seus irmãos e irmãs. Apresenta uma grande generosidade e trata a todos com muita amabilidade e atenção.
  • Alegria: a pessoa alegre é otimista, porque sabe que Deus tem o melhor para ela. Irradia por onde passa o bom odor de Cristo e ilumina a vida de muitas pessoas.
  • Paz: é uma pessoa tranquila e com personalidade equilibrada. É alguém que se pode contar em um momento difícil.
  • Paciência: uma pessoa paciente não se irrita com qualquer coisa. Sabe esperar, confia no tempo de Deus, é forte diante as dificuldades, não se perturba com os comportamentos alheios, etc. Esse fruto está intimamente ligado à virtude da fortaleza.
  • Longanimidade: é uma pessoa que sabe esperar ou sofrer com paciência sem reclamar. Não se revolta com o que não saiu como previsto. “Levanta os olhos para ao céu cheio de lágrimas, mas nunca cheios de revolta” (Trese, 2014).
  • Bondade: defende com firmeza o que é certo e justo; não julga ou condena os outros; é generosa com Deus em tudo.
  • Benignidade: é alguém amável e que está sempre disposta a ajudar e a ouvir.
  • Mansidão: “(…) aprendam de mim, que sou manso e humilde de coração (Mt 11, 29). É ser como Jesus. É entregar-se as tarefas; agir com delicadeza e não tem o instinto de dominação.
  • Fidelidade: é alguém que tem orgulho de fazer parte do Corpo Místico de Cristo. Que ama a igreja e segue a religião com amor e entusiasmo. Mas não é o tipo de cristão que pretende coagir os outros a seguir sua religião. Defende sua fé com garra, sem ofender os demais.
  • Modéstia: é a pessoa que não leva os outros a pecar através de suas atitudes, sua fala, sua forma de se vestir, etc. É alguém que ajuda os demais a se fortalecerem nas virtudes.
  • Continência: é alguém moderado em tudo, principalmente nas paixões do mundo. Sabe equilibrar a razão e a emoção de acordo com os ensinamentos de Cristo.
  • Castidade: é o fruto e a virtude considerada mais obsoleta nos dias atuais. Entretanto, a castidade nos ensina a ver o sexo como algo de Deus, ou seja, precioso e sagrado. A pessoa casta, não nega o sexo ou tem problemas com ele. Sabe que o sexo deve ser vivido dentro do matrimônio para a manifestação plena e sublime do amor de Deus. Nosso corpo é o tempo do Espírito Santo, e por isso, devemos cuidar dele com amor. O corpo não deve ser utilizado como objeto de prazer e de divertimento por ninguém e nem por nós mesmos de forma egoísta. Devemos nos mostrar apenas diante da pessoa que Deus nos concedeu. A pessoa que vive a castidade sabe o que é amar e sabe amar com o coração de Deus.

         Vamos com essa leitura pedir ao Espírito Santo os seus sete dons e seus frutos para vivermos como bons filhos e filhas de Deus.

 

Questões para refletir:

  • Busco sempre nas minhas orações pedir ao Espírito Santo de Deus que Ele aumente em mim as virtudes teologais?
  • Tenho consciência que para crescer em amor a Deus e aos demais preciso crescer em virtudes?
  • Busco com frequência identificar meus defeitos, peço ajuda a Deus e me proponho a corrigi-los?

 

Andressa Pelaquim
(Paroquiana da Catedral Metropolitana de Londrina)

Plugin de comentários do Facebook